“Como evitar a amputação” é tema do Simpósio de Atualização Multidisciplinar do Pé Diabético, no Instituto Dante Pazzanese.

O pé diabético é uma complicação do Diabetes Mellitus e ocorre quando uma área machucada desenvolve feridas (úlcera) nos pés. Isso acontece, quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia estão mal controlados. Diante dessa situação, qualquer ferimento nos pés deve ser tratado, para evitar complicações que possam levar à amputação do membro afetado.

Para falar com prioridade sobre esse assunto que afeta tantas pessoas, o III Simpósio de atualização do Pé Diabético traz como discussão central “Como evitar a amputação”, no dia 17 de setembro, que será realizado no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (IDPC).

Profissionais renomados estarão presentes para debatarem todos os assuntos que envolvem essa problemática, desde a causa ao tratamento, inclusive a amputação, que deve ser observada como um recurso extremo e, também, a reabilitação de pacientes, neste último caso.

O Dr Fábio Batista participa do Módulo IV, às 12h10, e abordará o tema ‘A Correção Cirúrgia da Deformidade do Pé de Charcot’. “ O retardo no diagnóstico pode favorecer a uma apresentação da doença bastante avançada, com grave prejuízo funcional, presença de deformidades, feridas complexas e infecções, o que pode causar o amputamento da extremidade, além de aumentar o custo direto e indireto ao paciente, à sociedade e aos sistemas de saúde, como na queda da qualidade de vida e aumento dos índices de doenças e morte dos pacientes”, explica.

O Simpósio é patrocionado pela Invasive SP, Fleury Medicina e Saúde e Daiichi-Sankyo e conta com o apoio da SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia de Cirurgia Vascular), Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e Fundação Adib Jatene.